Abrir Uma Empresa

Empreendedorismo: alternativas de investimento sem precisar recorrer a um banco!

Abrir uma empresa é o desejo de muitos empreendedores. Poder gerir o negócio de acordo com os próprios desejos de crescimento e estratégias é uma boa forma de se lançar no mercado, ainda mais em tempo de crise, onde empreender tem sido na verdade a maneira mais eficaz de sobreviver e prosperar!

E é bem verdade que apesar do desejo de empreender, devido à crise, grande parte dos bancos estão mais cautelosos em conceder crédito.

E se você não sabe, existem sim outras alternativas, muito além dos bancos! Em primeiro lugar, antes de percorrer todo esse artigo, é preciso entender que existem sim outras fontes externas para captação de recursos financeiros.

Só que também é preciso estar ciente de que os demais investidores não estão desejando fazer caridade e sim fazer com que seu dinheiro se multiplique, para que assim, ele também possa ter o retorno de seus investimentos.

Então, se a solução para você não é proveniente de recursos próprios – que é uma possibilidade, saiba que há outros meios. Conheça-os agora!

Financiamento coletivo

No Brasil existe a possibilidade de adquirir recursos por meio de serviços que operam segundo o crowdfunding – que se trata de um sistema de financiamento coletivo. Você pode conhecer essa modalidade a partir de sites, como:

O funcionamento desse sistema se baseia através de uma espécie de cadastro. Logo depois você insere informações a respeito do projeto, informando as metas de arrecadação e as diferentes faixas de contribuição.

Dessa forma é possível que outros empreendedores decidam contribuir.

Investidor anjo

Na grande parte, os investidores anjos são sempre homens de negócio com êxito em outros empreendimentos. Esses empresários estão sempre atentos a novos projetos. Principalmente aqueles que parecem mais promissores.

Novas startups são sempre analisadas com curiosidade e interesse. E quanto mais visionário, inovador e criativo for o empreendimento, maiores chances de conseguir um investidor.

De acordo com o aporte, o anjo terá uma pequena participação na rentabilidade do negócio. Nesse caso, o investidor não terá uma posição executiva na organização, mas poderá ser o mentor do gestor do empreendimento. Ensinando várias estratégias para que o negócio ganhe força e destaque.

Para conseguir impressionar um investidor, será preciso no mínimo:

  • Marcar uma reunião.
  • Fazer uma abordagem interessante e intuitiva.
  • Explicar o projeto, mostrando de que maneira ele é um bom negócio a ser criado.

Fundo de capital de risco

Essa modalidade envolve o investimento de dinheiro com a participação societária. A diferença é que os fundos têm atuação mais estruturada e são constituídos com bases mais sólidas. Exemplo: Negócios relacionados a área da sustentabilidade.

Então, quando o objetivo é conquistado e a organização cresce, acontece o desinvestimento. Ou seja, o fundo de risco vende a sua parte, visando outras empresas para o investimento do dinheiro.

Aceleradoras

Estas são instituições privadas que fazem investimentos em startups (as que são mais promissoras). Na maior parte das vezes, essas empresas inovadoras são selecionadas por meio de eventos que acabam funcionando como uma espécie de competição – onde as melhores podem ser escolhidas.

Nesse caso, várias ajudas podem ser dadas ao empreendedor, como:

  • Orientações na otimização da gestão.
  • Orientações sobre mudanças estruturais.
  • Intermediação de parceiros e/ ou investidores.
  • Apoio em fundos de investimentos.

Assim sendo, o lucro das aceleradoras acaba dependendo do sucesso que a empresa venha a ter. E por esse motivo que essas competições e análises são geralmente tão criteriosas e rigorosas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1
Olá, como podemos te ajudar?
Powered by